Traumas, nos fechando em nós…


40.jpg  Pensando em todos nós seres humanos, que temos lindos defeitos e qualidades.

Pude perceber o quanto achamos que somos nós mesmos, mas no fundo somos apenas uma imagem pública que serve para agradar a todos e nos colocar em um lugar confortável.

Não sei ao certo os traumas que cada um pode ter vivido, afinal, todos nós vivemos nossos traumas, mas o que importa é, o que fazemos com eles, e pior, quando passamos por eles e nem percebemos que mudamos nossa forma de ser e agir diante do mundo.

Percebi que traumas endurecem a alma e o coração, mas não nos damos conta o quanto nos petrifica perante o mundo, para sermos simplesmente aceitos.

Muitos de nossos traumas viram enormes monstros de medos, de covardia perante a vida.

Podemos ter nos separado de pessoas que julgamos certas, ter perdido um posto de emprego importante (o qual julgava estar fazendo o melhor possível), sentir culpados por não ter criado um filho da melhor forma (sendo que eles possuem a personalidade deles desde muito pequenos), que não damos certo na parte amorosa, que a família sobrecarrega dizendo o que temos e o que não temos que fazer para sermos felizes. Nossa, se for relatar sobre traumas, poderíamos colocar uma lista interminável.

O importante é perceber o que os traumas mudaram em nossa personalidade.

O mais comum é a defesa, ficar calado perante muitas coisas do dia-a-dia, nos tornarmos apáticos e estáticos, e pior, achando que estamos “numa boa”, sem perceber os estragos internos que isso pode nos trazer.

O medo paralisa!

Começamos então a passar uma imagem do que querem que sejamos, já não somos nós, deixamos de lado viver fortes emoções por medo de não sermos aceitos.

Podemos perder o go to da vida, nosso movimento no mundo, nossa espontaneidade (que é tão boa: rir, curtir a vida sem achar que somos inadequados).

Perder a vitalidade diante do que mudamos em nós é comum, podemos até adoecer sem saber por que, é um movimento de “achar que fez algo errado e se fechar para o mundo”, uma questão, desde quando existem coisas tão certas e tão erradas?

Nos conformamos com os traumas, nos embotamos, por medo de errar perdemos a nossa essência e o que realmente somos, do que gostamos e do que não gostamos.

A vida assim fica pesada, tudo vira uma grande obrigação, pior, uma obrigação pesada que não leva a nada, só a dor que mal percebemos.

Acredito que diante disso criamos o pior de tudo por nós “nosso desrespeito por nós mesmos”.

Perceba o que foi que endureceu dentro de voçê, diante de tudo que viveu, e o como resgatar isso de dentro de você mesmo, afinal, sua essência está aí dentro.

Aceite quem você é, o que gosta em você, do que gosta e se respeite (mais nunca sem desrespeitar o limite alheio). Explore a si mesmo, sem medos, volte a ser você.

Sentimentos dão medo, mas não se importe com isso.

” Se você acertar, o mérito é teu, mas se errar é uma lapidação”.

Mude suas escolhas e mude seu coração.

Resgate sua alegria, ela é fundamental para todas as suas conquistas.

Sorte sempre!

Karin Klemm 

Anúncios

3 pensamentos sobre “Traumas, nos fechando em nós…

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s